×

NOSSO BLOG

09 de Dezembro de 2010

NATAL: PRESENTES IGUAL A BRINQUEDOS

Compartilhar:

No Natal, Fim de Ano, Dia das Crianças e outros momentos de festejar a quem se ama é necessário cuidados na compra de brinquedos.

Segundo dados da Comissão de Segurança, ligada ao Instituto do Consumidor, são registrados números significativos e preocupantes de acidentes envolvendo crianças entre os 2 e os 4 anos, devido a brinquedos perigosos. A ingestão de pequenas peças, quedas e entalões são sempre as principais causas.

A legislação nacional e as normas européias em vigor são incompletas. Por exemplo, não estão contemplados na lei, entre outros, as jóias de fantasia e dardos metálicos. Por outro lado, pêlos curtos, elásticos e brinquedos em papel não são considerados peças destacáveis.

Salienta-se ainda o símbolo CE, que, por lei, deve ser colocado pelo fabricante ou importador para indicar que o brinquedo respeita as normas de segurança em vigor. Mas, além destas serem incompletas, não há uma entidade independente que controle a sua veracidade.

Sempre que um produto ferir seriamente uma criança, por não cumprir as regras de segurança, os fabricantes ou importadores são os responsáveis. Neste caso, deve ser encaminhada uma queixa à Inspeção-Geral das Atividades Econômicas ou à Comissão de Segurança. Convém apresentar o brinquedo que causou o acidente e todas as provas que reunir (relatórios médicos e fotografias, por exemplo).

Alguns exemplos que precisam atenção:

Embalagem de Plástico - Caso o brinquedo esteja envolto num plástico, este deverá ser perfurado e o seu perímetro não deve ultrapassar os 40 cm.

Entalar os Dedos - Brinquedos como, por exemplo, quadros escolares ou tábuas de engomar, devem ter um sistema de segurança nas pernas que as impeça de fechar completamente quando a criança fizer pressão. Além disso, o espaço entre as pernas deve ser o suficiente (no mínimo, 12 cm) para evitar que o pequenino entale ou esmague os dedos.

Materiais Tóxicos - A segurança dos brinquedos também passa pelos materiais e tintas utilizados. De fato, existem determinadas substâncias químicas que estão proibidas. É o caso dos ftalatos, que tornam o plástico mais maleável, e de formaldeído, que é utilizado no vestuário dos bonecos. Estudos em animais demonstram que os ftalatos podem prejudicar os rins e causar lesões nos testículos. Além disso, como não são eliminados pelo organismo, vão-se acumulando, por exemplo, no fígado, ao longo de toda a vida. Os ftalatos podem libertar-se quando a criança leva o brinquedo à boca. Quanto ao formaldeído, é uma substância tóxica que pode provocar irritação na pele, em contato com esta, ou nas mucosas, ao ser inalado. (afirmam os estudiosos do assunto).

Peças Destacáveis - Olhos, rodas, botões, pêlos ou outros objetos pequenos que soltem com facilidade são perigosos. Podem ir parar à boca da criança, correndo esta o risco de sufocar.

Rotulagem - A principal falha é a falta de tradução das informações e dos avisos de segurança.

Assim, todos nós devemos atentar na hora da escolha dos presentes para crianças!

20190911104708_5d78fadcd01de.jpg
20190911104708_5d78fadcedf5e.jpg